quarta-feira, julho 22, 2009

A morte anda à espreita...

Quantos de nós pensa realmente na morte? Todos nós pensamos, uns preferem esconde-la na gaveta na esperança de que ela se esqueça do seu propósito, outros julgam-se ilibados dessa vulnerabilidade mas afinal de contas são os que mais medo dela têm e finalmente aqueles que só querem ter um último jantar a dois com ela.
Esta sexta feira tenho voo marcado para Amesterdão, resolvi deixar instruções claras ás pessoas mais próximas de mim caso me aconteça algo. Vamos lá ser francos, os aviões andam todos a cair e mais vale estar preparado do que depois cair no esquecimento. Tenho algumas coisas importantes que gostava de ver levar um destino predefinido por mim. A minha mãe chama-me de maluquinho mas se pensarmos bem, se morrêssemos hoje não teríamos nada salvaguardado nem ninguém iria saber das nossas intenções sobre os nossos pertences e afins, iríamos cair, simplesmente, no esquecimento. Não quero deixar nada por dizer ás pessoas que realmente significam tudo para mim porque a nossa continuação neste mundo passa pelas lembranças delas no que toca a nós.
Não ando à procura da morte mas não nos podemos esquecer que ela anda à espreita e que a qualquer momento nos pode convidar a passar para o lado de lá.


Não tenho medo de morrer porque o que deixar por fazer nesta vida
terei sempre a próxima para retomar ;)!


22-07-09
(Sérgio Minhós)

1 comentário:

  1. Andas com uns textos para lá de estranhos...enfim...

    Fica bem

    S.B.

    ResponderEliminar